AMOR


Amor, este inquieto
deveras sapeca,
Não desiste,
Não morre na praia.
Amor, este agoniado que
resiste até chegar ao enfim.
Amor, nasce, cresce e vai buscar nele
mesmo o desfecho final.

ANGUSTIA


Mar,
Montanhas.
Um frio na pele.
Um arrepio nas entranhas.
Uma tristeza tamanha que não há como explicar.
Que desfigura o meu rosto, constrange a minha alma.
Mas, a angustia será diluída ao vento.

ALVO


Não sei me enganar
Não sei mentir
Não alimento a minha esperança com ilusão.
Não quero como outrora vê-la despedaçada pelo chão.
Sei qual é a porção que me cabe.
Sei qual é o meu alvo.
E há vários caminhos até chegar a ele.
Vales, montanhas, desertos.
Mas, há um alvo.
E é nele que minha esperança está fitada.