DILUIR

Tudo se dilui



Tudo passa,


deteriora-se virando vento.


Pessoas envelhecem


Viram lembranças nas cabeças antigas.


Mas as gerações se justapõem.


E tudo que foi vivido transforma-se


Em não existente.


Em transparente


Em inconsciente.


Em não lembrar.

3 comentários:



Willians Rodrigues disse...

Essa semana vi algo em um determinado programa de entrevista, que dizia que as coisas foram feitas para não terminarem, não sei por que, mas acredito que se encaixa nesse pensamento apresentado em seus versos.

Déia Poeta disse...

mas, a vida ´pe assim, tudo é efemero.

Déia Poeta disse...

mas, a vida ´pe assim, tudo é efemero.