PERIFERIA



As luzes sorriem para mim.
Quando as vejo fico a refletir.
Elas cintilam na escuridão da noite.
como se fossem furos no céu.
Do meu primeiro andar as vejo.
Mas, aquelas luzes apenas indicam casas.
Das favelas.
Casas as avessas sem seus rebocos.
O que se passa naquelas casas?
Naquelas famílias.
Naqueles becos.
Naquelas bocas de fumo.
Nos aviõezinhos que as crianças fazem?.
Quem ali trabalha e passa fome?
Quem ali tenta quebrar com as barreiras sociais e ter dignidade
Em sua sobrevivência?
Quem é a criança leitor que você inferiu em sua interpretação?
E que sentido estes últimos questionamentos nesta linha fazem?
Apenas são luzes de postes e das fachadas dos barracos.

0 comentários: