DIVINO




Não sei o que fazer.
Está tudo tão confuso.
Sem você.
Tudo parece tão obscuro.
Meus anseios que nunca se saciam.
Atiro para todos os lados.
Corro para cima.
Para baixo.
Percebo que corro em círculos.
Como cão que brinca com o rabo.
Sem você...
Esqueci quem é você.
O seu sorriso.
Na verdade fui displicente.
Te perdi.
E não sei mais onde te encontrar.

0 comentários: