FALANDO POR SI



Sou negra.
Meus ancestrais sofreram.
Pagaram um preço.
Seu próprio sangue!
Quem mais que o próprio negro,
Para saber de suas necessidades?
Dificuldades.
O quanto que o Brasil nos deve?
Composto em nossas costas,
Humilhações.
Cicatrizes.
O quanto que sou negra?
O quanto de nuances nos compõem?
Negro é multicolor,
É mistura da natureza.
Negro é inteligência.
Música.
Arte.
Criatividade.
Seus cabelos esplêndidos.
Suas formas marcantes.
O próprio Deus nos separou.
Com a nossa mãe terra-África para
ser útero da humanidade.

SINÔNIMO DE BAIANIDADE


Você cheira a azeite de dendê e apimenta

Que fermenta,

Que esquenta,

Que aquenta,

Que alimenta.

Os seus lábios cheiram a vatapá,

Que sustenta.

Em você vejo a baianidade do negro,

Da terra,

Do mar,

Da capoeira que surpreende,

E ascende a poeira.

Essa etnia que traz a força.

Traçando a nossa história com heroísmo,

E resistência.

Que evidência a beleza da cor.

A inteligência.

O melhor que há.

ERÓTICO


Amor platônico, é o que tenho por você.

Amor irônico, não consigo entender.

Amor instantâneo, só desperta quando te vejo.

Amor duvidoso, que não me arrisco a absorver.

O que quero é entrar nessa iniciação da vida,

Da maturidade.

A emancipação feminina.

Consumar a minha sina de prazer...

De te amar,

De me entregar,

E me escancarar

E te engolir.

AMOR VIRTUAL


Quero encontrar um amor verdadeiro.

Deixar de tantos devaneios.

Ilusões tecnológicas, internéticas...

Visões três-d,

Vai saber o que se passa!

Que está por trás da máscara.

Uma realidade virtual,

Falsa,

E superficial.

Desejo algo palpável.

Que eu veja todo dia.

Que seja meu por inteiro.

Que para mim entregue um sorriso quente de alegria.

Que me toque,

E ao pé do ouvido me faça uma

declaração de amor.

DOM DE POETA


Eu sou um poço de emoções.

Quanto mais me aprofundo,

Mais transbordo.

Tudo em mim é palpável.

Minhas emoções ficam a flor da pele.

Pele que se aquenta com a voz que sai do fundo

de meu ser.

Que voz é essa meus senhores?

É a voz da inspiração.

É a voz do dom,

Que o próprio Deus me deu.

Essa voz que arde em meu interior

Evidenciando em meu exterior.

Queimando-me por dentro.

Trazendo-me temor.

Essa inspiração não se deve as musas,

Mas a um muso inspirador.

Que encheu o meu poço.

Que o faz transbordar.

DEFINIÇÃO


O que é o amor?

É o desabrochar da flor.

É o despertar.

Assim, superar a dor.

Amor é imprevisível.

É o sorriso que sobressai acima de qualquer circunstância.

É valorizar-se,

E saber que tudo passa .

E que o melhor para definir as situações é o tempo.

Ele, bendito que esclarece tudo,

E todos.

Que revela e liberta aquele que está preso sendo inocente.

Que atrai a pessoa amada para perto da gente.

Amor é o próprio divino revelado.

Que quebra os preconceitos mais enraizados.

Amor, sentimento único que nos torna eterno.

TRANSFORMAÇÃO


Por que minto para mim?

Gostaria de expressar,

Tudo que tenho para falar.

Falar o quanto choro por dentro.

Falar o quanto o mundo é injusto.

Falar o quanto que te desejai.

Falar o quanto que eu estava vulnerável

E que em um só golpe teu

Eu cairia aos teus pés.

Mas, você não se aproveitou de mim.

Deixou-me recuperar as forças.

Deixou-me recuperar a consciência.

Deixou-me ser racional.

E hoje...

Tenho dúvidas.

E hoje te questiono.

E hoje enxergo que você não é tão forte assim.

E como você não olhou para mim.

E como não me golpeou.

Hoje te ignoro.

Hoje te questiono

E agora posso te ferir.

BRISA


Por um momento foi meu.

Por um momento olhei nos teus olhos

E senti que poderíamos passar a vida inteira juntos.

Por um momento sentir-me tua.

Por um momento senti que teu coração pertencia a mim.

A tristeza que transparecia em ti a fiz sorrir.

E por um momento esse sentir foi levado pelo vento.

E você que era tão importante para mim,

Ofertei a Deus,

Em um só momento...

Mas, se tudo que entregamos a Deus ele nos devolve,

Tenho esperança que em um momento,

E, agora eternamente estaremos juntos.

COTIDIANO


Você golpeia meu coração,

Quando teus olhos buscam outro olhar.

Dó quando o vejo tramar.

Quero sair desse estigma.

Dessa sina.

O amor onde está?

Em que olhos vou me aquecer?

Espero um abraço para me proteger.

Desejo encontrar um espaço para me cobrir.

Sinto-me golpeada.

Sinto como se uma foice estivesse dilacerando meu estomago.

Sinto-me como o amor estivesse me esquecido.

Mas, enquanto isso.

Vivo,

Realizo,

Escondo-me.

Choro,

Sorrio.

DESCOBERTA


Quero desvendar você,

Descobrir seu enigma.

O que encontrarei por trás da máscara?

Devo contentar-me com simples aparências?

Com o parecer?

Ou devo ir fundo?

O que vou encontrar nessas esquinas escuras e sombrias?

Quero encontrar você.

O mais simples.

O mais ingênuo.

O mais casto.

O mais tenro.

Mas, se ao invés de encontrar um anjo,

encontrar um espanto?

Um demônio?

Angustias que vem a minha alma.

Que me entrelaçam e confundem.

Que me inquietam.

Que me ilude.

Só quero sair da caverna.

Buscar a quietude do mar.