DIVINO


Carne e espírito,

Batalham.

Material e espiritual.

Conquistam!

Marcas deixadas por um que me vê.

Vê minha roupa.

Minha carne.

Minha essência.

É inefável.

O toque de suas mãos.

O modelar do meu corpo.

O transpor da minha alma.

Penetra-me.

Visita-me.

E aviva-me.

Quero ouvir a sua voz.

Que desliza trazendo paz.

Como chuva de fim de tarde.

Que traz o cheiro de terra molhada.

O alívio.

Não quero ser dura.

Nem te ignorar.

Porém, caminhar contigo.

E dar-lhe a mão.

E passar pelas portas.

Porque sei que com você irei até o fim.

E não haverá mais a carne.

Nem lágrimas.

Nem batalhas.

Enfim, chegou a salvação.

0 comentários: