SOU DO GUETO



Sou do gueto.

Sou negra e tenho respeito.

Sou do bem.

Sou da vala.

Sou do lixo.

Sou do SUS.

Da madrugada.

Sou do esperar meses para ter uma consulta marcada.

Sou da escola pública super lotada.

Mal entendo o que o professor de física

E matemática diz.

Sou da falta de bíblioteca no meu bairro.

Sou da falta de área de lazer em minha comunidade.

Sou daquelas que engravida aos dezesseis anos de idade.

Sou daquelas que trabalhará na casa da família aos doze.

Sou daquelas que vendem amendoim nas ruas a meia noite.

Sou daquelas que aos treze que vende o corpo na esquina da orla.

Sou daquelas que aos vinte e quatro tem cinco filhos.

Sou daquelas que minha miséria e degradação é mantida pela hipocrisia de

uma sociedade demagoga.

3 comentários:



niltonnr disse...

Nossa Andréia! Adorei esse texto, perfeito, falou tudo! Estou aqui estupefato! Parabéns e muito sucesso!

Déia Regis disse...

Obrigada Nilton, por ter visitado o meu Blog, muito sucesso para você também!

andrea disse...

oi Déia! Amei essa poesia realista mesmo!!!!!
Quando você lançar seu livro serei a 1.da fila a pedir autografo.
PARABÉNS E SUCESSO!!!!!!!